tamoxifeno
Sobrepeso prejudica eficácia da hormonioterapia
Já é conhecido o fato de que a obesidade está associada a um pior prognóstico do câncer em mulheres com doença metastática. Isto provavelmente se deve ao fato de que a maioria destas mulheres apresenta tumores que crescem com o estímulo do estrógeno, e o estrógeno parece estar aumentado nas mulheres menopáusicas obesas em comparação com as de peso adequado. Em mulheres que ainda não estão na menopausa, a origem do estrógeno são os ovários. Bloqueando a função ovariana e acrescentando seja Tamoxifeno (tratamento tradicional) seja Anastrazol (um inibidor de aromatase), um grupo austríaco avaliou se a obesidade influenciava a...
Nova medicação para prevenção do câncer de mama
Exemestano entra no grupo de medicações que podem prevenir câncer de mama em mulheres com risco elevado...
Hormonioterapia
A hormonioterapia é a classe de medicações mais efetiva de que dispomos para o tratamento de pacientes cujos tumores tenham expressão dos chamados receptores hormonais. Estes receptores são o receptor de estrógeno (RE) e de progesterona (RP), e sua presença qualitativa e quantitativa é determinada pela avaliação do tumor através da técnica denominada de Imunohistoquímica. Assim, absolutamente todo tumor de mama deve ser avaliado quanto à presença ou ausência destes receptores, e preferencialmente esta avaliação deve ser feita por um bom laboratório, com controles de qualidade adequados. A presença destes receptores (ou de apenas um deles) indica um benefício da...
1