médico
Consulta com seu oncologista
A primeira consulta tem por objetivo permitir ao médico estabelecer um vínculo com o paciente e sua família e, ao mesmo tempo, fornecer ao médico informações clínicas importantes durante a conversa e exame clínico do doente. Serve também para que o médico possa analisar exames que o paciente porventura já tenha feito....
Onde buscar mais informações
Há diversas fontes de informação que podem ajudar nossos pacientes nas mais diversas situações. Segue abaixo uma lista com algumas delas: www.oncoguia.org.br Portal completo com todo tipo de informação sobre o câncer, direitos dos pacientes, entrevistas com médicos e outros pacientes. www.cancernet.gov Portal em inglês, extraordinário, com versão de texto para pacientes e para médicos. www.medintegrativa.com.br Portal com informações sobre medicina integrativa e complementar. Conteúdo rigorosamente avaliado por colega dedicado à especialidade. www.silviobromberg.com.br Página de colega mastologista, com informações gerais extremamente importantes. http://www1.inca.gov.br/vigilancia/ Portal do Instituto Nacional do Câncer, contém as estatísticas oficiais do Ministério da Saúde no que tange...
Reconstrução mamária
A cirurgia da mama, seja ela uma setorectomia, seja ela uma mastectomia, causa uma alteração significativa na mama, que na grande maioria dos casos pode e deve ser amenizada. A alteração da anatomia da mama tem implicações não só estéticas, mas psicológicas e funcionais óbvias. Neste contexto, exceto em casos em que a setorectomia é muito pequena em relação ao tamanho da mama, ou em casos em que a mulher manifesta não querer proceder com reconstrução mamária, se faz necessária uma intervenção cirúrgica plástica. Este componente estético da cirurgia nunca deve comprometer o componente oncológico da cirurgia. De fato, frequentemente o profissional...
Onde devo me tratar
Uma pergunta que deve ser respondida antes de proceder com qualquer tratamento é: onde devo me tratar. O tratamento do câncer deve ser conduzido por profissionais e em centros com capacitação adequada. Um clínico geral não tem competência para prescrever quimioterápicos. Um cirurgião geral sem o devido treinamento também não tem habilidade para operar um caso de câncer de maneira adequada. Se a cirurgia for realizada em um hospital público (SUS), a paciente deve se informar quem é o médico responsável pelo seu caso. Não é aceitável que não haja um médico responsável, mesmo em se tratando de um hospital escola,...
O que devo perguntar
Quando pacientes com câncer vão a uma consulta médica, exceto nos casos em que o médico dá uma idéia geral sobre a doença e o plano de tratamento, estas mulheres frequentemente não sabem o que perguntar. Outras vezes elas têm medo de perguntar. Segue abaixo uma lista de tópicos importantes, que sugerimos que cada mulher discuta abertamente com seu médico: Qual é exatamente a minha doença e qual é o prognóstico? Qual é a extensão da minha doença? (localizada, localmente avançada ou metastática). O que isto quer dizer? Quais são as opções de tratamento, e se estas opções têm intuito curativo...
Quem procurar
Diversas situações podem fazer com que uma paciente se pergunte quem é o profissional que ela deve procurar. Damos abaixo algumas recomendações: Paciente que sente alguma alteração nova na mama Deve procurar o ginecologista que a conheça, ou um mastologista. Deve sempre levar consigo, para a consulta, as últimas mamografias. Esta consulta deve ocorrer dentro de, no máximo, uma a duas semanas, e de maneira alguma a paciente deve esperar pela próxima consulta de rotina. Mulher com parente(s) de primeiro grau com câncer de mama e/ou ovário antes dos 50 anos de idade, ou com história de homem com câncer...
Como podemos calcular o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama
Modelo de Gail Este modelo é a base do chamado “Breast Cancer Risk Assessment Tool”, utilizado pelo Instituto Nacional do Câncer dos EUA para calcular o risco de uma mulher desenvolver um câncer de mama. É um modelo desenvolvido para uso pelo médico, não é o modelo ideal para mulheres sabidamente com mutações genéticas hereditárias predisponentes ao câncer, e, mais importante, é um modelo matemático com base na população americana. Por conta destes fatores, seus resultados podem não ser completamente aplicáveis à população brasileira. A calculadora, que pode ser acessada no link  www.cancer.gov/bcrisktool , leva em conta alguns itens: Se a...
Como diminuir o risco de desenvolver câncer de mama
A prevenção do câncer de mama pode ser dividida em três partes: Prevenção primária: tudo aquilo que pode ser feito para evitar a ocorrência do câncer Prevenção secundária: diagnóstico precoce e prevenção da recorrência (recidiva) Prevenção terciária: medidas para minimizar o impacto da doença já estabelecida, na qualidade de vida das pessoas. Abordaremos aqui apenas a prevenção primária e secundária. Prevenção primária O câncer de mama é em parte decorrente de uma série de fatores de risco: Idade avançada Predisposição genética hereditária História familiar Menarca (primeira menstruação) precoce e menopausa tardia Radioterapia prévia na região do tórax Mamas mais densas Obesidade...
Diagnóstico do câncer de mama
O diagnóstico de câncer de mama somente pode ser estabelecido mediante uma biópsia de área suspeita que seja analisada por um patologista e laudada como sendo um câncer. A realização desta biópsia, no entanto, somente ocorre em face de alguma alteração suspeita (seja no exame físico, seja na mamografia). Quando a paciente ou o médico encontram alterações ao exame físico, são solicitados exames adicionais como mamografia (um raio X das mamas) e/ou um ultrassom das mamas. Além disso, mulheres sem alterações ao exame das mamas podem ter alterações detectadas na mamografia de rotina, que deve ser realizada em todas as mulheres...
Tipos de câncer de mama
O que é o câncer de mama? O câncer de mama consiste em um crescimento descontrolado de células da mama que adquiriram características anormais (células dos lóbulos, produtores do leite, ou dos ductos, por onde é drenado o leite), anormalidades estas causadas por uma ou mais mutações no material genético de uma célula destas estruturas. Existem mutações que fazem com que uma célula apenas se divida exageradamente, mas não tenha a capacidade de invadir outros tecidos. Isto leva aos chamados tumores benignos ou não cancerosos. Quando ocorrem mutações no material genético de uma ou mais células, e esta(s) adquire(m) a capacidade...
1