medicação
Tratamento oral contra o câncer
A rádio CBN entrevistou o doutor Rafael Kaliks, médico oncologista do Hospital Albert Einstein e diretor científico do Instituto Oncoguia, a respeito do uso de medicamentos orais no tratamento contra o câncer. Ouça aqui a entrevista....
Mais dados em favor de Trastuzumabe adjuvante para câncer de mama Her2+
Nova publicação combinada de dois estudos já conhecidos documenta benefício da administração de Trastuzumabe por um ano no tratamento adjuvante de mulheres com câncer de mama Her2+.  Na publicação, as pacientes já vem sendo seguidas em média por 4 anos, e o Trastuzumabe continua proporcionando uma redução do risco de morte por câncer de mama de 39% (em números absolutos, para cada 100 pacientes que recebem a medicação, sete deixarão de morrer pela doença graças à medicação). No contexto de uma doença com prognóstico pior por conta da proteína Her2, esta terapia deve fazer parte do tratamento de todas as...
Ácido Zoledrônico controverso na adjuvância
Ácido Zoledrônico é uma medicação que ajuda a evitar progressão óssea do carcinoma de mama metastático. Seu uso, em conjunto com o tratamento hormonal adjuvante em mulheres jovens (ou seja, em mulheres sem evidência de metástases) vem sendo defendido por um grupo austríaco, porém, dados de outros grupos não confirmam o benefício nesta população. Em face dos dados publicados até o momento, a sua utilização em mulheres sem metástases não pode ser defendida como uma medida padrão para reduzir o risco de recidiva. A medicação mantém sua utilidade no tratamento da osteoporose....
Sobrepeso prejudica eficácia da hormonioterapia
Já é conhecido o fato de que a obesidade está associada a um pior prognóstico do câncer em mulheres com doença metastática. Isto provavelmente se deve ao fato de que a maioria destas mulheres apresenta tumores que crescem com o estímulo do estrógeno, e o estrógeno parece estar aumentado nas mulheres menopáusicas obesas em comparação com as de peso adequado. Em mulheres que ainda não estão na menopausa, a origem do estrógeno são os ovários. Bloqueando a função ovariana e acrescentando seja Tamoxifeno (tratamento tradicional) seja Anastrazol (um inibidor de aromatase), um grupo austríaco avaliou se a obesidade influenciava a...
Tratamento de metástases ósseas
Opções agora incluem ácido zoledrônico, denosumabe e pamidronato. ...
Nova medicação para prevenção do câncer de mama
Exemestano entra no grupo de medicações que podem prevenir câncer de mama em mulheres com risco elevado...
Benefício parcial de Bevacizumabe em novo estudo
Bevacizumabe, uma medicação que inibe o crescimento de vasos que nutrem o tumor, vem sendo testado no tratamento do carcinoma de mama. Publicação do terceiro grande estudo testando a droga em mulheres com câncer metastático (estudo RIBBON 1) demonstra mais uma vez que a sua combinação com quimioterapia pode sim prolongar o tempo que uma mulher permanece livre de progressão do câncer (prolonga em poucos meses), mas não parece prolongar a vida das pacientes. A toxicidade das combinações de Bevacizumabe com diversos quimioterápicos foi significativa, mas aceitável. (J Clin Oncol 2011; 1252-1260)...
Eribulina, uma nova medicação, ajuda mulheres com câncer avançado
Uma nova medicação, Eribulina, foi estudada em mulheres cujo câncer de mama havia progredido apesar dos tratamentos quimioterápicos tradicionais. Parte das mulheres estudadas recebeu a medicação no Brasil, como parte do estudo. A Eribulina, que ainda deve demorar alguns anos para estar comercialmente disponível, proporcionou um aumento na sobrevida de quase 3 meses, quando comparada a outras medicações tradicionais. No contexto de uma doença que já é refratária a diversas medicações, este resultado é bastante positivo. Referência: Lancet 2011; 377:914-23...
Hormonioterapia
A hormonioterapia é a classe de medicações mais efetiva de que dispomos para o tratamento de pacientes cujos tumores tenham expressão dos chamados receptores hormonais. Estes receptores são o receptor de estrógeno (RE) e de progesterona (RP), e sua presença qualitativa e quantitativa é determinada pela avaliação do tumor através da técnica denominada de Imunohistoquímica. Assim, absolutamente todo tumor de mama deve ser avaliado quanto à presença ou ausência destes receptores, e preferencialmente esta avaliação deve ser feita por um bom laboratório, com controles de qualidade adequados. A presença destes receptores (ou de apenas um deles) indica um benefício da...
medicamentos
Nova medicação para pacientes com metástases ósseas
Nova medicação ajuda a proteger pacientes de progressão de metastases ósseas. Estudo comparou o tratamento padrão das metastases ósseas (ácido zoledrônico) com uma nova medicação (denosumabe) em mais de 2.000 pacientes. ...
1